calvície

CALVICIE

ALOPÉCIA ANDROGENÉTICA (CALVÍCIE)

Alguns dados:

  • Aos 65 anos 80% dos homens claros são calvos.
  • A queda em geral inicia-se pela fronte seguida pela região do vértex em forma de círculo.
  • Anemia é a principal causa de queda de cabelos acentuada em mulheres.

Os 10 passos para o tratamento clínico e prevenção da calvície:

  1. Reconhecer o problema – Todos perdemos naturalmente cerca de 70 a 100 fios de cabelo por dia de forma pouco perceptível. Quando no entanto começamos a observar cabelos no travesseiro, carro, chão, roupas isto pode representar uma perda exagerada e requer investigação do problema.
  2. Investigar o problema – Ela pode ser temporária devido a alguns fatores como estresse, tinturas e processos químicos, gravidez, menopausa, amamentação dietas alimentares severas, problemas hormonais, uso de anticoncepcional, ou anemias. Geralmente nestes casos a queda normaliza-se em 3 a 5 meses (perda < que 50% dos fios)
  3. Avaliar a genética familiar – Se seu pai/mãe tem história de perda de cabelos desde a idade adulta jovem ou são calvos seu risco passa a ser maior e talvez seja interessante começar um esquema de prevenção.
  4. Diagnosticar o grau e padrão de calvície – segundo a escala de Hamilton/ Norwood.
  5. Checar outros problemas no couro cabeludo – como caspas, oleosidade excessiva, sinais de irritação devem ser tratados para evitar que o processo de queda se intensifique.
  6. Iniciar tratamento clínico com FINASTERIDE**(veja explicação abaixo) – para pacientes do sexo masculino, ou Espironolactona; Flutamida: Acetato de Ciproterona ou Outro para pacientes do sexo feminino não grávidas.
  7. Complementação – com nutrientes através de fórmulas específicas via oral em forma de rodízio trimestral.
  8. Tratamento tópico – com produtos feitos em farmácias de manipulação contendo vários ativos para serem massageados em gotas no couro cabeludo.
  9. Iniciar intradermoterapia capilar – aplicação de substâncias em pequenas quantidades diretamente no couro cabeludo em intervalos quinzenais. As baixas doses dadas diretamente no local do problema agem com maior efetividade e sem causar efeitos colaterais indesejáveis, além disso ativam a circulação do couro cabeludo melhorando sua vitalidade.
  10. Refazer avaliações dos resultados obtidos – através de fotografias seriadas ou de comentários de pessoas próxima.

** FINASTERIDE

O Finasteride é um remédio que era usado inicialmente para tratar problemas de próstata , observou-se que os pacientes tinham a queda de cabelos estabilizada e o volume mantido ou aumentado. Passou-se então a estudar qual seria a dose necessária para tratar apenas da queda de cabelo e observou-se eficácia com uma dose 5 vezes menor que a usada para próstata.

Sua ação baseia-se na inibição da 5 alfa redutase uma enzima que converte a testosterona em diidrotestosterona no sistema periférico sem alterar os níveis de testosterona sanguíneos.

Seus efeitos adversos incluem redução da libido (1,5%) disfunção erétil (1,4%) e redução do volume ejaculatório (0,5% dos pacientes). Sua liberação pelo esperma é muito pequena não havendo problemas de uso por homens com parceiras grávidas ou querendo engravidar.

Segundo estudos em pacientes jovens houve parada na queda de cabelo e cura pelo exame de biópsia em 95% dos casos de perda de cabelos . Em pacientes com idade média de 40 anos conseguiu-se reduzir as áreas de calvície que ocupavam 40% do couro cabeludo para 9%. Em mulheres seu uso vem sendo melhor estudado porém é contra indicado em gestantes, mulheres que desejam engravidar ou menopausadas, havendo opções como Flutamida, Cimetidina, Acetato de Ciproterona e outras que podem ser usadas no sexo feminino.

Standard