FotoHaddadBisturi

Nova tecnologia Israelense substitui o bisturi do cirurgião, por uma alternativa sem corte.

Muitas pessoas que pretendem fazer, ou são submetidas a uma cirurgia, temem o corte do bisturi. Essas pessoas que têm tal medo, irão gostar de uma nova tecnologia e alternativa menos assustadora, a “lâmina enzimática”.

Um dispositivo desenvolvido pela engenharia química de Wolfson no instituto Technio – Israel, substitui o corte convencional com a faca do cirurgião, por materiais biológicos naturais.

Esse novo dispositivo, é capaz de suavizar as fibras de colágeno por meio de uma liberação controlada de colagenase, uma enzima que quebra o colágeno.

A pesquisa foi feita pelo Professor Avi Schoroeder, especialista em nanotecnologia e também chefe do laboratório de drogas e direcionado a tecnologias de medicina personalizada na faculdade.

Nos procedimentos desenvolvidos no laboratório de Schroeder, a colagenase é embalada em lipossomas – partículas de nanoescala com formato esférico, que, enquanto embaladas, fazem com que as partículas de colagenase fiquem inativas.

Quando o gel é aplicado na região, a enzima gradualmente começa a escorrer o lipossoma e suaviza as fibras de colágeno.

A “lâmina” se baseia no uso inteligente de enzimas, que são as moléculas biológicas pelas quais o corpo se restaura, bem como nanopartículas e tecnologias para a liberação controlada de drogas.

Dr. Assaf Zinger, é o principal autor do artigo e conduziu a sua pesquisa no âmbito de sua tese de doutorado sob a orientação de Schroeder. Zinger enfatiza que essa nova abordagem pode ser aplicada em vários outros procedimentos e tratamentos cirúrgicos.

“Por milhares de anos, o bisturi do cirurgião tornou-se mais sofisticado, mas o paradigma não mudou”, citou ele. “Em nosso estudo, apresentamos uma mudança paradigmática significativa – a substituição de um processo mecânico-físico por um processo biológico”.  

Pesquisadores realizaram vários experimentos, onde a concentração de colagenase foi determinada para o procedimento e também a posterior reabilitação tecidual.

Agora, com essa nova tecnologia, com certeza veremos grandes avanços em relação aos cortes procedimentos cirúrgicos de todos os âmbitos. É um inovação ótima para os médicos e pacientes, quebrando paradigmas e evitando grandes traumas na superfície cutânea.

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Cirurgia plástica sem corte!

  Nova tecnologia Israelense substitui o bisturi do cirurgião, por uma alternativa sem corte. Muitas pessoas que pretendem fazer, ou são submetidas a uma cirurgia, temem o corte do bisturi. Essas pessoas que têm tal medo, irão gostar de uma nova tecnologia e alternativa menos assustadora, a “lâmina enzimática”. Um dispositivo desenvolvido pela engenharia química […]