Dra. Alessandra Haddad fala sobre tratamentos para perda de contorno facial.

Contorno facial: como tratar em cada fase?

Contorno facial é perdido ao longo do tempo, mas podemos tratar!

Contorno facial. Vamos falar da perda desse contorno, da mudança do formato facial começando pelos pacientes mais jovens. Com 20, 30 anos  elas pensam que é muito cedo para começar, mas às vezes a paciente tem uma deficiência na formação óssea da mandíbula, a mandíbula pequenininha, o queixo pequenininho, e isso impacta esteticamente no contorno da mandíbula inferior. E precocemente às vezes é necessário que a gente aborde e faça um preenchimento na mandíbula ou no queixo para harmonizar esse terço inferior com o terço médio e mais do que harmonizar, para prevenir que haja uma queda precoce dos tecidos do terço médio, tirando esse contorno inferior.

Então precocemente a gente lança mão dos preenchedores, às vezes ácido hialurônico, às vezes hidroxiapatita de cálcio, que a gente consegue refazer todo esse desenho da mandíbula, tanto nas mulheres quanto nos homens, e do queixo, pra começar um processo de restaurar o terço inferior na parte óssea e de prevenir que os contornos vão se perdendo.

Aí a paciente caminha mais um pouquinho, começa aquela perda de colágeno, começam os 30 e poucos, 40 anos, quando você perde, pelo menos 1% de colágeno ao ano e aí a pele começa a afinar. Então a gente começa a ter uma flacidez pela perda do colágeno. Nesse segundo momento a gente lança mão das tecnologias.

Por que as tecnologias são muito úteis? Porque elas estimulam a migração de células tronco capazes de refazer esse colágeno que está se perdendo. Como assim? Ele libera um calor na profundidade e esse calor incentiva o meu tecido a se refazer e quando ele se refaz vem com um novo colágeno.

É muito importante a gente saber que se, por exemplo, uma paciente com irmã gêmea igualzinha, for fazendo esses procedimentos de incentivar o colágeno e a irmã gêmea não, ela sempre vai estar um passo mais nova que a irmã.

Aí a gente passou dessa idade, a paciente que vem um pouco mais tardiamente quando a flacidez já se instalou. Então a gente já tem aquela pele caidinha, a paciente quer dar aquela pequena puxadinha, de 1 cm, a gente consegue através dos fios de sustentação. Então é um passo sequente, quando a gente não conseguiu segurar essa queda do colágeno com as tecnologias e a gente lança mão do filtro de sustentação, que também é um procedimento feito no consultório, e visa a gente reposicionar um pouquinho esse tecido que já foi acometido pela flacidez.

Então se você não conseguiu chegar a tempo dos fios de sustentação, então a alternativa é a cirurgia plástica. Portanto tente abordar essa perda de contorno facial um passo antes dela chegar e não um passo depois. Quanto mais precocemente a gente trata, menor é a intensidade e menor é a invasão que a gente tem que fazer para restaurar a sua configuração e devolver o seu contorno facial.

Standard