Dra. Alessandra Haddad fala sobre fisioterapia íntima

Fisioterapia íntima – rejuvenescimento íntimo

Fisioterapia íntima – Entrevista

Hoje eu estou aqui para apresentar a vocês uma nova parceira na área de rejuvenescimento íntimo, a Dra. Mirian Kracochanski. Ela é fisioterapeuta, tem mestrado, doutorado e PhD em fisioterapia íntima. Ela tem 15 anos de experiência nessa área e agora vai fazer parte da nossa equipe para ajudar você com uma série de sintomas que possa estar sofrendo e nem imagina o que a fisioterapia pode fazer por você.

Dra. Alessandra – Mirian, conta pra gente o que é essa coisa de fisioterapia íntima.

Dra. Miriam – Bom, a fisioterapia íntima ou reabilitação do assoalho pélvico que é o termo técnico que nós usamos, é uma fisioterapia que vai fazer a reabilitação dos três órgãos que a pelve comporta, ou seja, a parte urológica, a ginecológica e a parte posterior que é a coloproctológica. Então o que essa reabilitação vai fazer? Ela vai mexer com os músculos responsáveis por essas três áreas.

DA – Basicamente quais são as queixas de uma paciente que quer reabilitar a parte ginecológica? Do que ela se queixa quando vai para uma fisioterapia íntima?

DM – Normalmente a parte ginecológica está ligada com a gestante, com a gestação e o pós-parto. Nessa fase de pós-parto nós trabalhamos o alongamento dessa musculatura e o fortalecimento, porque devido ao parto ela está um pouco diferente. E uma queixa muito frequente é de dores na relação sexual, então tem uma série de problemas, seja o vaginismo, atrofia ou secura, e na parte sexual o nosso trabalho traz muito benefício.

DA – E como funciona esse trabalho? É uma malhação da parte íntima? Como é isso? Conta pra gente!

DM – Na verdade é um trabalho meio multi, não é só ficar fazendo exercícios com a musculatura pélvica como muita gente pensa, não é só isso. Existem exercícios, mas existem muitas outras coisas, como a eletroterapia, neuromodulação, existe o biofeedback, que a gente trabalha com eletromiografia, até a parte de gameterapia, que são os videogames aplicados ao assoalho pélvico, existem pesos… existem inúmeras formas de trabalhar essa musculatura.

DA – E com esses recursos você começa a ver o resultado do tratamento em quanto tempo?

DM – Olha, o tratamento é bem curto, normalmente as pacientes ficam de 10 a 20 sessões em tratamento, é muito rápido.

DA – É, porque quando a gente pensa em fisioterapia pensa naquela coisa longa, cansativa…

DM – Aquele RPG que não acaba nunca mais… Não, é o oposto. Eu instrumento a paciente com ferramentas que ela vai levar pra casa, vai ter condição de treinar sozinha. Ela vai aprender a localizar a musculatura, a treinar essa musculatura, a fortalecer ou relaxar (depende do caso) e depois ela leva pra vida dela isso como uma rotina. Então ela vai aplicar isso na relação sexual, na evacuação ou quando ela for urinar. Eu lido muito com problemas de incontinência urinária, incontinência fecal, constipação e todos esses problemas se resolvem muito bem com a reabilitação. Inclusive a bexiga hiperativa, que é uma coisa muito frequente, aquela urgência em que a pessoa tem vontade de ir toda hora ao banheiro. Isso tudo a gente trata com muito sucesso.

DA – Uma última pergunta. Parece e a gente tem visto muitos artigos a sobre a questão das mulheres esportistas, principalmente as ciclistas, na questão da diminuição do prazer e de uma flacidez maior nessa região ginecológica. A fisioterapia íntima, assim como o laser, pode ajudar nessa flacidez?

DM – Sim, a fisioterapia ajuda muito. E com o surgimento desse laser só está melhorando, porque a fisioterapia vai melhorar toda a força muscular, a continência, inclusive das maratonistas têm muito problema, do pessoal que faz saltos, jump nas academias então… a cama elástica é um problema sério! Então a fisio vai ajudar a ter o controle dessa musculatura e o laser é maravilhoso, porque ele vai dar um “up” no colágeno que está faltando e a coisa fica maravilhosa. É como se a mulher nascesse de novo.

DA – Obrigada, Mirian.

Então nós vamos dar continuidade a essa série de vídeos sobre fisioterapia íntima. Nas próximas sessões nós vamos falar mais sobre o aparelho urinário e o aparelho coloproctológico.

Standard